sexta-feira, 17 de abril de 2015

Quando Acordo

Não acordo pra ser sensato
Não acordo pra fazer sentido
Acordo pra não ser exato
Acordo por estar vivo.

Não levanto pra ser a esmo
Levanto pra ser eu mesmo
Acordo e me despeço da cama
Mas às vezes volto se ela me chama.

E ser melhor a cada dia
Não para os outros mas para mim
Dançar a vida com alegria
Saber que a estrada nunca tem fim.

E se tem cansaço, volto e me aconchego
No seu peito, envolto em seus abraços
Seu braço sempre aberto quando chego
Nosso amor sem medo preenche todo espaço.

Não acordo sempre para ser só eu
Mas o pensamento é sempre sobre ti
Se tu for minha passo a ser só seu
E só de ser possível já me faz sorrir.

4 comentários:

ॐ Shirley ॐ disse...

Você sabe o que quer, Ale. Gostei do seu poema.
Abraços!

Ale Vargas disse...

Muito obrigado poetisa. Abraços.

ॐ Shirley ॐ disse...

Olá, passei aqui outra vez... e me encantei com o mesmo poema.
Beijos, Ale!

ॐ Shirley ॐ disse...

Oi, Ale, voltei...
Li de novo, gostei de novo, abraços de novo...rs!!!