terça-feira, 15 de maio de 2012

Sonâmbulo

"Que é bom desconfiar dos "bons" elementos." (Céu)


Ando meio sonâmbulo por esses tempos
Talvez por conta de contratempos
Ora me pego acordado e dormindo e tenso
E é nessa hora que todo relógio parece imenso.

E o pior é que é só início, parece o preâmbulo
E perambulo feito um pêndulo noite adentro
Revisto-me de todos os defeitos acerca de mim
E sinceramente sigo acordado e vivo sonâmbulo.

E a toda hora acorda dormindo com o celular
Mas se quanto a tudo ninguém liga e ninguém vai ligar
A mesma hora de ontem se repete sem parar
Mas um dia o tempo para e se nao para vou parar de tentar.

E tem gente sinceramente que não devia sequer existir
Mas posso fazer minha parte, afinal estou por aqui
Sei cada passo que dá e que caminho que irei seguir
Espero do fundo da alma ver o momento quando a dor for sentir.

O medo não existe pra mim e há muito tempo devia saber
Mesmo sonâmbulo acordado sei a hora certa e como fazer
Faço a tristeza acabar ou começar é questão de querer
Afinal desde cedo aprendi o que deve viver e o que deve morrer.

***

"Numa espécie de limbo
O sonâmbulo anda feito pêndulo
Ora pende dormindo, ora pende contra o tempo
E faz deste inimigo, atrasado, correndo
Justifica um vazio interno, imenso
Fugas mentais ocupam os pensamentos
E se torna incapaz de ocupar a si mesmo..."

(Céu - Sonâmbulo)

<< >>

Um comentário:

Alessandra Chaves da Silva disse...

"A mesma hora de ontem se repete sem parar"
perfeita essa frase *-*