sexta-feira, 18 de março de 2011

Delírio

Sou da pele, do prazer
O lazer alucinado
Vamos nos satisfazer
Com o poder que nos foi dado.

Quero a língua nos seus seios
Sua pele junto a minha
Entorpecer em devaneios
Enquanto existe ainda.

Preciso ardentemente
Encaixar-me em suas coxas
Desligar então a mente
Agarrar-me em suas costas.

Sentir o delírio acordado
Em seu movimento suave
Aos poucos alucinado
Num ritmo íntimo e grave.

Totalmente inserido em seu meio
Num sentimento de entrega total
Bebê-la sem perigo ou receio
Ser bebido como alimento vital.

Acariciar-te como a última vez
Devorá-la como fruta escolhida
Repetiremos isso? Talvez
Mas melhor não pensar nisso ainda.




___________________________________

Um comentário:

Alessandra Chaves da Silva disse...

INCRIVELMENTE sensual...
adorei!!