domingo, 20 de junho de 2010

Torto

Não sei que diabos mas o queriam internado
O queriam bem longe, pra lá...
Ele comprou discos do Caetano, usados
E uma tela regionalista em Cuiabá.

Gastava dinheiro, ousava.
Fazia amigos só por afinidade.
Nem drogas mais usava.
Por isso mal visto na cidade.

O diziam torto, se bem que por isso, natimorto.
Não ligava, ao invés disso, cantava João Bosco, absorto!

Remendando sequelas antigas
Já não existem mais aquelas feridas
Pode sentar já no cais sem partidas
E pensar como faz bem a vida...

2 comentários:

Regina disse...

Amoor amei seu blog é incrivel parabens...
Bj

Alessandro Vargas disse...

Ah, muito obrigado mesmo. Fico feliz que tenha gostado. Faço com muito carinho.