sexta-feira, 19 de setembro de 2008

O Aroma


É um aroma de aventura
Olente como certos fluidos
Não como esses que por aí se apura
Mas de uns que vem seguidos de risos

É um torpor de torcer sentidos
É um odor que me agrada infante
Uma alegria que extrai gemidos
Uma sensação de prazer constante

Impulsiona e pula aqui no meu peito
Com seu sorriso pueril me enlaça
Nas adversidades dá-se um jeito
E como ela não há quem faça

Se suamos é de peripécia
Se amamos é da cabeça aos pés
Se jogamos? Sim só jogamos
Mas nosso jogo é bem mais que dez

Tão leve que adorno em uma mão
Capaz de todas as ilicitudes pra sua idade
Tão breve mas não em vão
Capaz de todas as virtudes que aqui se sabe

Não sei se sabe que tem o aroma das aventuras
Só sei que sabe que não apostei quando devia
Não sei se sabe como adorei as nossas loucuras
Só sei que não cabe mais em seus olhos o que antes via.

Um comentário:

Renata disse...

Mto, mto bom!
Adorei!