sexta-feira, 11 de abril de 2008

No Meio de Um Coração

(Dedicado a Renata Souto de Oliveira Gazeta)

Escreveu o meu nome no meio de um coração
Irá se apagar, logo vai se apagar...
O vento sopra, o vento é vilão,
Escreveu o meu nome na beira do mar...

Escreveu o meu nome na areia da praia,
Escreveu o meu nome na caneta do dedo,
Escreveu o meu nome porque vai se apagar,
Escreveu o meu nome porque não tinha medo.

Tinha solidão, mas companhia do mar,
Fazia tempo que assim se sentia,
O vento, vilão, a cantar, a cantar,
Por isso escreveu-me na beira mar.

Deixou-se sozinha um minuto a pensar,
Enquanto isso, a maresia;
Escreveu o meu nome, sem ver, nem pensar,
Escreveu o meu nome porque a mim só sentia.

Deixou-me sozinho, quer dizer, o meu nome,
E logo após isso, pô-se a caminhar,
Na areia da praia tudo se consome,
por isso escreveu-me na areia do mar.

Um comentário:

Renata disse...

Coisa mais gostosa de se ler!
Quase posso sentir...

bjinho!
=***